As aventuras da Fräulein Zimmermann


Ah, então você fala espanhol!

Primeiramente, eu gostaria de agradecer a todas as pessoas que têm prestigiado e elogiado meu blog! Fico muito feliz!

 

Pois então gente. Acho que meu blog, coitado, está um pouquinho desatualizado. Estamos no dia 12/09 e eu escrevi só até sobre a quinta-feira da semana passada. Mas os dias estão bem corridos, então vou sintetizar um pouco as coisas.

Bom, a sexta-feira da semana passada não teve nada de muito especial. Eu fui a um supermercado de ônibus para comprar algumas coisas e esqueci parte do dinheiro em casa. Muito espertinha eu.

No sábado eu fui ao Mirabellgarten (jardim Mirabell). Visitei um museu barroco de lá, o qual possui obras dos séculos XVII e XVIII, quase todas esboços para pinturas e murais de altares. Estranhamente, enquanto eu via as obras de arte eu passei tão mal que tive que sair do museu, vocês acreditam? Parecia que alguém apertava meu estômago com toda a força e que eu iria vomitar. Quando eu saí da área de exposições, melhorei rapidinho. Estranho, né?

Abaixo, foto da entrada do tal museu:

 

Quando saí do museu, uma senhora californiana veio perguntar-me o nome do castelo que fica ali. Eu disse “desculpe-me, mas não sei". Despedimo-nos e cada uma continuou o seu caminho. Em 5 minutos lembrei o nome do castelo. Bem óbvio, na verdade, Castelo Mirabell, ou Mirabellschloss. Procurei-a, mas ela já não estava ali. Que pena.

Abaixo, foto do jardim Mirabell, com o castelo Mirabell ao fundo.

Mais tarde encontrei três idosos que discutiam sobre como iriam fotografar o lugar. Perguntei a eles se gostariam de uma foto juntos e eles ficaram super felizes. Depois de fotografá-los, eles me fotografaram também.

Então eu vi a senhora da Califórnia de novo e corri até ela. Falei o nome do castelo e começamos a conversar.

“De onde você é?”

“Do Brasil.”

“Que legal! Então você espanhol!”

Por que as pessoas acham que, no Brasil, se fala espanhol? A moça sentada ao meu lado no avião achava isso, a recepcionista do hotel em que eu fiquei a 1ª noite também, e agora essa mulher?

Eu vou colocar um cartaz no meio da cidade com a seguinte frase:

“NO BRASIL FALA-SE PORTUGUÊS E A CAPITAL NÃO É SÃO PAULO”

Aiii! Que desabafo, gente...

Continuando, eu sei que em 2 minutos eu virei guia turística dessa senhora em Salzburg. Sério! E eu só estava na cidade há 4 dias.

Mostrei a ela o centro, a casa onde viveu Mozart e um hotel que faz uma torta de chocolate famosíssima (hotel Sacher). Depois atravessamos a ponte, mas do outro lado eu não conheço quase nada e voltamos em seguida.

Enquanto caminhávamos, ela fez um interrogatório sobre a minha vida e eu nem sei o nome da mulher. Bom, voltamos ao Mirabellgarten e perguntei se poderíamos ter uma fotografia juntas. Ela consentiu e eu pedi a um grupo de jovens se alguém poderia nos fotografar. Depois da foto, deixei-a no museu que eu havia visitado naquela mesma tarde e perguntei se ela conseguiria ir sozinha à estação de trem. Ela agradeceu, despediu-se de mim e eu voltei para casa.

Nossa foto juntas:

 

 

 

 

 

No domingo, resolvi sair para correr ao lado do rio Salzach, onde há muitos ciclistas e pessoas correndo, aproveitando o fim do verão. Equipei-me toda com MP3, roupa apropriada e, claro, a máquina fotográfica. Enquanto ouvia as músicas do MP3 que o meu irmão me emprestou para a viagem (já que o meu morreu), corria sorridente entre os turistas da cidade.

Quando passei por um casal de turistas, a mulher, pensando que eu fosse daqui, virou para o marido e disse em português:

“Olhe que pernas brancas ela tem!”

Gente, como eu estava ouvindo música e correndo, até cair a ficha eu já estava longe e não sabia quem tinha falado, senão eu juro que teria voltado e dito:

“Sério?”

Mas fazer o que... voltei para o ap rindo sozinha.



Escrito por nathy_zib às 18h44
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"Caixa azul?"

O despertador toca às 8h. Tenho uma lista para cumprir hoje. Enquanto me arrumo, ouço um barulho no corredor, parece que há algum funcionário limpando o chão. Saio do apartamento e a faxineira está saindo. “Bitte!” (por favor). Ela olha para trás e vem em minha direção. Pergunto se fala inglês, mas a resposta é não. Então falo que gostaria de ter roupa de cama. Ela diz que a moça que cuida disso chegará em uma hora. “Quando a moça chegar, eu falo para ela ir ao seu quarto”. Volto para o ap. Espero mais de uma hora e nada. Resolvo sair novamente e vejo a mesma faxineira de antes saindo do elevador. Ela diz-me que a outra moça só virá à tarde, e completa dizendo que ela mesma pegará a roupa de cama pra mim. “AEEEEEEEE!!!”

Eu a sigo e depois de uns cinco minutos tenho dois jogos de roupa de cama brancos e cheirosos!

Voltando à lista... O primeiro item é voltar ao apartamento da moça responsável pelas informações da moradia. Infelizmente, ela não está. Quando dou meia volta, eis que surge uma luz no fim do corredor, alguém se aproxima e aponta para a porta. Eu pergunto se ela mora ali e ela confirma. Que felicidade! Pergunto se ela fala inglês e ela confirma novamente. Ótimo! Digo que sou nova na moradia. Ela pergunta se me deram a caixa azul.

“Caixa azul?”

“Isso, a caixa em que estão a louça, travesseiro, cobertor...”

Gente, isso existe!

Ela está com pressa e pede para que eu volte duas horas mais tarde. Pergunto onde devo colocar o lixo. Ela diz que vai àquela direção, então vamos juntas. Ela mostra as lixeiras, a caixa de correio e a lavanderia.

“Eu posso lavar roupa aqui?”

“Você precisa de uma chave, que deve ser pega na matriz”.

 Bom, missão para a semana que vem. Depois vejo onde fica a caixa de correios e nos despedimos. Na volta, ao passar em frente a umas portas que eu não tinha notado, ouço o som de um saxofone. Entro na sala ao lado que está vazia e vejo uma cadeira e um suporte para partituras. Descubro que essas salas servem especialmente para os estudantes tocarem seus instrumentos. Ainda bem que eu trouxe meu violão!

A explicação para isso é que muitos aqui estudam música. Há na cidade uma universidade de música, a Universität Mozarteum, em que o aluno é graduado em um instrumento específico, como violão, piano, etc. Achei o máximo!

Abaixo, fotografia de parte da universidade, vista pelo jardim Mirabell.

 

 

Depois de falar com a tal moça, pego minha mala para cumprir a 2ª tarefa, abri-la. Vou à loja onde comprei o adaptador de tomadas e peço ao senhor que me atendeu no dia anterior que, por favor, tente abri-la à força. E ele consegue! Por isso virei sua fã (acho que os 0,02 que eu joguei na fonte devem ter ajudado). E ele nem cobra por isso, muito querido. Levo a mala para casa e saio novamente.

Terceira tarefa do dia: descobrir como ir de ônibus até a clínica. Caminho até a estação principal de trem, que é o ponto final de todos os ônibus. A caminhada leva apenas 15 minutos do apartamento. Lá eu compro um cartão com o qual eu posso pegar ônibus quantas vezes eu quiser por um mês. Pego um ônibus que acho que para na rua da clínica. Peço a uma senhora com gestos como o cartão funciona e ela me mostra. Depois ela pergunta onde eu gostaria de ir. Ai, como dizer isso... pego o dicionário na bolsa para dizer que só estou conhecendo o local. Treffen é usado para conhecer pessoas, não lugares, então mostro no mapa a rua a qual gostaria de ir. Ela levanta em um salto e diz que estou completamente errada. No fim entendo que estou saindo da cidade. “Mesmo?” Não sei o que fazer, ela pede para que eu desça do ônibus com ela. Todos me olham, o ônibus pára, não sei se saio ou se fico. Que fazer? Resolvo ficar, pois no fim, o ônibus voltará para a estação. Ele volta, e depois segue para o centro. O mesmo ônibus faz duas rotas diferentes.

Depois de passear de ônibus, paro na Mirabellplatz (praça Mirabell), onde ocorre todas as quintas-feiras o Donnerstag Markt (feira da quinta-feira). Vejo várias pessoas comendo linguiças com mostarda e outros temperos sem pão, nem arroz, só linguiça. Tem linguiça grande, pequena, vermelha, alaranjada, marrom. Eu não como, já que meu estômago é meio chato com novidades. Compro apenas um vidro de pepino e vou pra casa almoçar.   

Abaixo, foto da feira na Mirabellplatz.

 

Volto para o ap, e ao chegar há uma caixa azul em frente à minha porta. Vou correndo, abro a porta, trago a caixa e, quando eu a abro, há tudo o que a moça falou. Pratos, copos, xícaras, talheres, uma panela, travesseiro e cobertor. Almoço um sanduíche com pepino, pra variar e depois guardo a louça nos armários da cozinha, faço a minha cama e guardo a minha roupa. Já tenho quase tudo.

 

 

E depois durmo!! Ai, que canseira, minha gente.

Acordo e vou para a quarta missão do dia: comprar um cabo para ter acesso à internet. Ai, pergunto a umas dez pessoas, sem brincadeira, até achar uma loja que venda esses cabos. Quando chego em casa e coloco o cabo: consigo conectar! Falo com várias pessoinhas e crio este blog.

Que dia proveitoso esse dia, hein?

 Mas preciso dormir de novo. Estou “podrérrima”. Tomo um bom banho e agora posso dormir de pijama e com a cama feita.

Zzzzzzzzz...



Escrito por nathy_zib às 15h55
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Meu humor



Histórico


Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis